Translate

sábado, 25 de abril de 2015

Em SP: Augusta à gosto – Parte 1

Às vezes quando eu vou à Augusta
O que mais me assusta é o teu jeito de olhar
De me ignorar
Toda em tons de azul

Teu ar displicente invade meu espaço
E eu caio no laço exatamente do jeito
Um crime perfeito
It's all right, baby blue

(Às vezes, Tulipa Ruiz)

Ficamos em casa no feriado prolongado da Páscoa, então o Marido teve a ideia de “turistar” num dos meus lugares preferidos em SP: a Rua Augusta. Aproveitamos a quinta-feira, 02.04, feriado só pra alguns, e fomos cedo, pra tentar descobrir um pouquinho mais dessa rua cheia de curiosidades.

Dispensamos o carro e fomos de ônibus e metrô até a estação Consolação. Descemos primeiro o lado par da Augusta, sentido Praça Roosevelt, depois subimos pelo lado ímpar. Hoje ficamos só pelo lado “Centro”, que compõe o “Baixo Augusta”, mas, como sempre passamos por ali, escreveremos outros posts sobre a Augusta “Bairro” e a Augusta à noite.

Reduto de jovens e do cenário alternativo desde os anos de 1960, a Rua Augusta é um dos lugares que mais reflete o multicultural em São Paulo. Movimentada o dia todo, no finalzinho da tarde começa a efervescência de um povo descontraído que se espalha pelas galerias, bares e restaurantes ao longo da rua.

Primeira parada: Galeria Le Village, no nº 1492. Boa pedida para um bolo e um mate, a qualquer hora do dia, na Mate Por Favor, logo na entrada da galeria. Ao lado, a Missmott, encantadora, com peças femininas muito bacanas. Destaque para os acessórios retro romantic (parece que as peças tem história!). Fiquei babando na vitrine da loja ainda fechada. Para os amantes de sebos, lá fica um dos vááários que há pela Augusta. Se bater uma fominha de algo menos light, cachorro quente no Hot Dog Augusta (e eles também tem hot dogs veganos!). Para os ciclistas, a Spokes Bike Shop.

Galeria Le Village

Mate Por Favor, na Galeria Le Village

Na sequência, uma das melhores coisas que existem na Augusta: Espaço Itaú de Cinema, com salas dos dois lados da rua, nos números 1470 (“Anexo”) e 1475. No Anexo fica o Cine Café Fellini, onde sempre espero encontrar um brigadeiro de capim cidreira de-li-ci-o-so!

Saindo um pouquinho da Augusta, na Rua Antonio Carlos, passamos pelo Urbe Café Bar, onde ti-ve-mos que voltar à noite. Cafés variados, tortas, quiches, massas, saladas, sopas, carnes, doces, drinks compõem o variadíssimo cardápio do café. Minha escolha de hoje foi o ravioli de manjericão com mussarela de búfala e azeitonas pretas ao sugo. Recomendo.

Do lado par, tem duas galerias que amo: a “De Tudo Um Pouco”, no nº 1.408, e a “Endossa”, no 1372. Tem muita coisa diferente e bacana. Dá pra gastar um bom tempo (e um bom dinheirinho, se estiver disposto rs). Hoje me apaixonei pelas peças do Rodrigo Martins (o primeiro stand, logo na entrada, à esquerda) - especialmente por um vestido e uma saia com estampa “Alice no País das Maravilhas” que dividiram meu coração rs - e pelos acessórios de cabelos da Zebras Coloridas, ambas na De Tudo um Pouco.


O vestido "Alice do País das Maravilhas", do Rodrigo Martins
Acessórios de cabelo da Zebra Colorida

Não resiste a um sapato? Então você vai se perder na Au Bottier, que está lá há mais de 50 anos, no nº 1206. Com um público bem eclético, tem alguns famosos como clientes, e também faz sapatos sob medida, além de reformas e consertos.

A Augusta refletida na vitrine da Au Bottier

No 1108, fica o Foto Cine Clube Bandeirante, fundado em 1939, que oferece cursos de fotografia, workshops, organiza passeios fotográficos, realiza concursos de fotografia...

Para ir à noite, o Z Carniceria no nº 934, onde ficava o Açougue Z, primeiro açougue e abatedouro da rua. Destaque para a linguiça calabresa flambada “Na Cachaça”, as “Coxinhas da Dadá” e para os bolinhos de arroz (“Bolinho Blanco”).

Para um corte de cabelo num lugarzinho diferente: o salão Retrô, no nº 902. Subindo a rua, do lado ímpar, no 1365, tem o Circus Hair. Ambientes cheios de personalidade.

A Augusta Bakery Street, panificadora artesanal e gourmet com cara de pub londrino, no nº 744, chamou nossa atenção só pelo que pudemos ver de fora, pela portinha que estava aberta. Está fechada por tempo indeterminado, maaaaas... você poderá conferir do outro lado da rua, no foodpark Urbanóide Comida de Rua (nº 1291 – falarei mais dele logo mais).

Um pouco mais de história no nº 724, onde fica a chapelaria Plas, que está no mesmo endereço há mais de 45 anos! O visual das vitrines e o cheiro característico da loja nos fazem viajar no tempo por alguns instantes.

Viagem no tempo através da Plas

Continuamos curiosos pra conhecer o Caos, loja de antiguidades durante o dia (ainda fechado na hora em que passamos) e bar à noite, no nº 584.

E mais comidinhas pelo caminho: o Rock‘n’Roll Burger, no nº 538.

Passamos pelo polêmico terreno do “Parque Augusta”, onde ativistas estavam recolhendo assinaturas na petição em prol do Parque (para ver a cronologia dessa questão, clique aqui).

O terreno da polêmica

Continuamos descendo até a Praça Roosevelt, revitalizada em 2012, que hoje é reduto de skatistas. Passamos pela Igreja de Nossa Senhora da Consolação, fechamos a volta pela praça e atravessamos para o lado ímpar da Augusta.

Skatistas na Praça Roosevelt e a Igreja da Consolação, ao fundo

Passamos em frente ao Club Noir, espaço cultural com oficinas e apresentações de teatro a preços populares ou com entrada gratuita, no nº 331. Depois, já no 1129, tem o Comedians, com shows de humor, noites de improviso e stand up comedy.  

Mais uma galeria no nº 1283: a Augusta Arts, que tem um visual muito bacana! Meu cantinho preferido ali é a Verve, marca de bijuterias finas cheias de personalidade, uma mais linda que a outra!

Augusta Arts

Ao lado, o Urbanoide – Comida de Rua, foodpark com food trucks e barracas de diversos restaurantes, com culinária bem variada.

A entrada do Urbanoide - Comida de Rua

Por fim, no 1371, passamos na Galeria Ouro Velho, mais antiga, construída em 1962. Destaque para a Barbearia 9 de Julho, Casa das Culturas Indígenas, Libreria Española e Hispanoamericana e Rika Comic Shop.

Barbearia 9 de Julho, na Galeria Ouro Velho
Rika Comic Shop, na Galeria Ouro Velho

Pra finalizar, voltamos um pouco a rota para um PF no Recanto Augusta, um restaurante escondidinho no nº 1275, com comidinha muito boa!


Por hoje é só. É claro que tem muuuitos outros lugares pra descobrir por ali – o que farei sempre com muito prazer! - e vamos aos poucos incrementando este post ;-)

Posts relacionados:


 

Tubaína Bar: ambiente retrô e sustentável em São Paulo

 

Bistrot de Paris, em São Paulo

 

Restaurante Spot, em São Paulo

 

KAYA Kafé, na Rua Augusta