Translate

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Embu das Artes: galeria a céu aberto na Grande SP

Não fomos viajar pra longe no feriado prolongado de 07.09, então fomos conhecer a encantadora Embu das Artes.

Situada a cerca de 30 km de São Paulo, a cidade é famosa, como o nome já diz, por oferecer (muita) arte: são inúmeras galerias, lojas e feirinhas oferecendo quadros, esculturas, objetos decorativos, roupas customizadas, bijuterias, bolsas, acessórios, balagandãs em geral, trabalhos em madeira, couro, MDF, artesanatos com técnicas variadas, móveis, antiguidades... enfim, uma infinidade de coisas de encher os olhos! Vale a pena ir mesmo que você não compre nada, porque há muito para apreciar!

Não tínhamos um roteiro definido. Deixamos o carro no estacionamento da “Praça de Alimentação” (que é uma praça mesmo), e seguimos a pé para o centrinho. Íamos entrando em toda loja que nos chamava atenção. Dá vontade de levar tudo! (cuidado para não se empolgar e comprar o que não você precisa ou nem tem onde colocar rs)

Uma das ruazinhas de Embu das Artes
Os preços nem sempre são camaradas, por isso é sempre bom pesquisar o mesmo item em mais de um lugar, mas, considerando que grande parte das peças é produzida artesanalmente, é até justificável que algumas custem um pouco mais.

Andamos a pé por todo o centrinho. Aqui estão alguns destaques do nosso passeio:

Logo de cara, tive que comprar biscoitos de polvilho temperados, biscoitinhos de leite condensado e um licor artesanal de café, entre as delícias do Armazém da Fazenda.

As delícias do Armazém da Fazenda
Subindo um pouquinho, chegamos ao Largo dos Jesuítas, onde fica a igreja de Nossa Senhora do Rosário, que abriga o Museu de Arte Sacra da cidade.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Museu de Arte Sacra, no Largo dos Jesuítas
Uma feirinha se espalha, com inúmeras barraquinhas, pelas ruas do centro. E tem de tudo: bijuterias, acessórios, peças de decoração, quadros, brinquedos, roupinhas para bonecas, instrumentos musicais, roupas, comida, peças (lindas!) feitas e vendidas por indígenas da região, flores, sandálias de couro...

Parte da feirnha de Embu das Artes
Tem vários restaurantes bacanas também. Na hora que bater a fome, no meio da caminhada, opções não faltarão.

Entramos na Fenix Galeria e nos perdemos por um tempo nas obras, uma mais linda que a outra! Fomos muito bem atendidos e tivemos uma pequena “aula” sobre Inos Corradin!

A Praça do Coreto também recebe “decoração”: os quadros à venda dão um colorido especial à praça.

Praça do Coreto
Passamos pela Oficina da Cor, que não poderia ter um nome mais apropriado! O colorido das obras – várias delas com referências de grafitagem – chama atenção e nos leva pra dentro da galeria!

Galeria Oficina da Cor
Bem pertinho dali, a pitoresca Viela das Lavadeiras, toda florida e colorida! Linda!

Viela das Lavadeiras

Viela das Lavadeiras

Viela das Lavadeiras
A Pino Giacobini Artes também encanta, com suas peças vintage com temas de automobilismo e motociclismo.

Pino Giacobini Artes
Paramos para um café no Florbela Café, integrado à Florbela Móveis. Loja e café se confundem, criando um ambiente muito interessante! Destaque para o bolo de cenoura com cobertura de chocolate e para o chocolate quente com conhaque espanhol. Hummm!!!

Chocolate quente com conhaque espanhol no Florbela Café

Florbela Café

Florbela Café - Móveis
Depois caminhamos até o Parque do Lago Francisco Rizzo. Lá, você poderá comprar verduras orgânicas direto da horta comunitária ;-)

Horta comunitária no Parque do Lago Francisco Rizzo
Por fim, fomos conhecer duas outlets: a Mega Mult (que vale muito a pena!) e a BBB (que esgotou nossa paciência em dois minutos!).