Translate

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Filme: “Pequena Miss Sunshine”

(Imagem: divulgação)
Um pai que desenvolve um programa de autoajuda e prega o sucesso de maneira doentia, mas fracassa. Um avô expulso de uma casa de repouso por ser usuário de heroína. Um irmão típico adolescente revoltado, que diz odiar a todos e faz voto de silêncio até conseguir ser piloto da Força Aérea. Um tio homoafetivo que acaba de tentar o suicídio e vem morar com a família. Uma mãe que tenta equilibrar todos estes temperamentos e situações. Uma menininha fora dos “padrões” admitida para participar de um concurso de beleza na Califórnia, que elegerá “A Pequena Miss Sunshine”. Esses são os membros da família Hoover, que se une em uma longa jornada numa Kombi amarela para levar a pequena Olive ao concurso.

Todos esses universos nada convencionais, reunidos em uma única família, que segue viagem dentro da velha Kombi para levar a caçula adorável e desengonçada ao concurso de beleza, proporcionam momentos engraçados e dramáticos, que fazem de “Pequena Miss Sunshine” – vencedor de dois Oscar (Melhor Roteiro Original e Melhor Ator Coadjuvante) – meu filme predileto, que já assisti muitas e muitas vezes!

De quebra, a “escandalosa” performance de Olive, treinada incansavelmente pelo avô, expõe a hipocrisia e incongruência de conceitos que permeia o tratamento das meninas nesse tipo de concurso. Delicado e hilariante!